Cipreste: um óleo para o 5 de Espadas

Dezembro é o mês das  árvores coníferas usadas para arranjos de Natal,  como pinheiros, tuias e ciprestes. Resolvi escrever especificamente sobre o Cipreste (Cupressus sempervirens) por conta de uma consulta. A informação pode ser útil para outras pessoas.

Cipreste Ciparisso
Sébastien-Louis-Guillaume Norblin de la Gourdaine, Cyparissus, 1825

A mitologia grega narra que Ciparisso (Cyparis, Cyparissus ou Kyparissos) era amante de Apolo. Juntos, praticavam frequentemente o arco e flecha. Em algum momento Apolo deu de presente ao jovem um cervo e o mesmo se tornou imediatamente um animal de estimação muito querido. A vida segue, mas a história não seria grega se não rolasse uma tragédia, certo? Neste caso, Ciparisso acidentalmente fere de forma letal o próprio cervo durante uma caça – ou treino, não sei. Inconsolável, o jovem pede a Apolo que suas lágrimas vertam infinitamente. O deus, então, decidiu transformá-lo em árvore (sim, um cipreste), cuja seiva escorre como”lágrimas” no tronco. Esta é  a sua origem.

Cipreste, vida e morte

Coluna eretaO Cipreste traz uma dualidade curiosa: perenidade (vida) e finitude (morte). Caixões (Grécia) e sarcófagos (Egito) eram confeccionados com esta madeira por conta da sua durabilidade. Durabilidade para guardar algo que apodrece. Nos cemitérios mediterrâneos, a sua beleza tenta trazer consolo aos enlutados, que elevam o olhar até as suas copas. Apesar de estar sempre associado à morte, trata-se de uma espécie capaz durar por dois mil anos. O sempervirens (“sempre vivo”) do seu nome científico não está ali à toa.

O Cipreste desafia a morte, inclusive, durante o inverno. No hemisfério norte, os Ciprestes continuam a exibir o verde de suas folhas enquanto a natureza, nua, sofre com o rigor das baixas temperaturas.

“O inverno é onde as coisas morrem”, afirmou recentemente o autor da franquia Game of Thrones,  George R.R. Martin. Não para o Cipreste. Pense nisso de forma ampla e na força do Cipreste dentro deste contexto.

As árvores desta espécie se projetam esguias para o alto como obeliscos e podem chegar a 45 metros. São, aos olhos de muitos, um canal de conexão entre a terra e os céus, evocando evolução e espiritualidade. Também dispersadores  das forças negativas onde estão plantados. Nos cemitérios, conduzem nossas preces. Nos mosteiros, inspiram a elevação da alma. Podemos pensar na postura ereta da nossa coluna facilitando a meditação e o fluxo correto do chi (“energia vital”) por todo o organismo.

Osho usa a expressão “cipreste no jardim” como metáfora para a atenção plena no momento presente. Não importa se o que acontece gera dor ou euforia, mantenha a verticalidade do seu pensamento. A realidade está presente apenas no aqui-agora.

A dor do remorso

De volta à Ciparisso, fica claro, num primeiro momento o atributo do remorso na origem (mítica) do Cipreste. Confesso que usei a expressão “arrependimento” na consulta e quando comecei a escrever este texto, mas ela não é a mais adequada.

Você se arrepende de ter saído com uma roupa leve em um dia que não esperava que fizesse frio. Também de ter pedido uma determinada refeição no restaurante quando percebe que o da sua companhia parece estar mais gostosa. A princípio, adotei esta visão simplificada de arrependimento, mas não estava confortável.

A tradição judaica, por exemplo, usa muito a palavra teshuvá na busca do aprimoramento pessoal. E o que é teshuvá? É você perceber que errou, analisar a motivação do erro, tentar corrigi-lo sempre que possível (mesmo que seja apenas com um pedido de desculpas) e, fundamental, se comprometer a não fazer de novo. Traduzimos teshuvá como “arrependimento” quando, literalmente, significa “retorno”. Retorno para onde? Retorno ao ponto em que você errou (se perdeu) para “refazer a sua história”. Existe um forte trabalho espiritual (tikun = “correção”) envolvendo a teshuvá judaica. Arrepender-se, dentro de uma perspectiva religiosa, é isso. “Vá e não peque mais”, disse Jesus.

Por isso me toquei que a palavra que eu queria era “remorso”. As duas são tratadas, muitas vezes, como sinônimos, mas guardam diferenças. O remorso nem sempre nos leva ao arrependimento. Arrependimento não mata, mas quando se trata de remorso…

Remorso vem do latim  remorsus (“tormento”) e é correlato a remordere (“morder de volta”), configurando um quadro em que existe uma enorme inquietação mental e censura por algo que se fez e não alcançou o resultado desejado. O remorso não transforma, não produz mudança de vida. Apenas castiga.

“Estou acompanhando, Marcelo, mas isso está mais com cara de 9 de Espadas do que de 5”. A gente chega lá. Já conto isso e estabeleço parâmetros entre uma carta e outra.

O fracasso que nos consome

A entrevista abaixo vale a pena ser assistida na íntegra. A partir de 7:15, no entanto, começa o trecho que me interessa, sobre a mudança do Pedrinho Fonseca para Barbacena. Não darei spoilers, embora  o motivo de incluir este vídeo deva ser óbvio.


Lembrei desta entrevista depois da consulta, ainda refletindo sobre o que ouvi e falei. Foi um atendimento com algumas curiosidades, por sinal, e fica aqui uma dica: não leia apenas as cartas, mas preste atenção em tudo o que acontece antes, durante e depois de um atendimento. Não falo para ficar paranoico procurando pelo em ovo, mas atento com o que pode validar ou complementar sua interpretação.

5 de Espadas | Lo Scarabeo Tarot
Lo Scarabeo Tarot

Abria eu os arcanos menores em leque sobre a mesa para que fosse sorteado o arcano (da corte) significador. A carta de cima grudou na minha mão e virou: era o 5 de Espadas. Como foi revelada antes do tempo, juntei tudo de novo, embaralhei e abri mais uma vez rapidamente. A primeira carta que ela virou também foi o 5 de Espadas, embora ele não tivesse qualquer função naquele momento. Ela continuou a tirar cartas até chegar ao Rei de Ouros, o primeiro arcano da corte a ser sorteado. Juntei todas as cartas e embaralhei para ela sortear outros 21 arcanos menores para acompanhar o significador.

Nota: interpreto o Tabuleiro com duas cartas por casa: um arcano maior e um arcano menor. Como são 22 casas, os maiores são apenas embaralhados e distribuídos, enquanto os menores são sorteados desta forma.

Ao virar as cartas do jogo, sim, o 5 de Espadas estava lá. No enredo da leitura, o atributo clássico de sensação de derrota em uma posição nevrálgica. De fato, a cliente fez um movimento na vida que não deu certo. Precisaria fazer outro agora, para tentar colocar as coisas nos eixos, mas tem dificuldade em “jogar a toalha”. Espera que algo fortuito aconteça ou que ela mesma tenha um grande insight que transforme tudo. As cartas trazem boas notícias, mas não as que ela gostaria de ouvir. As cartas trazem boas notícias, mas não sem uma mudança de atitude.

Acrescento, por conta das muitas “sincronicidade”, que  a saúde também não está legal. Fora o que ela comentou, durante a nossa conversa, noto a respiração irregular. Do nada ela inspira de forma mais brusca, como se lhe faltasse o ar, mas “não completa”. Para “na metade”, lá sei eu, de sua capacidade pulmonar. Tudo entre aspas porque trata-se de uma observação de leigo. Conversamos sobre isso também. Ela até precisa de outros óleos, mas um me parece inquestionável: o Cipreste. Falei resumidamente sobre ele na hora e me estendo aqui.

O Cipreste no alinhamento da alma

Em parte, o Cipreste está para os óleos essenciais como o Walnut está para os Florais de Bach. Ele é muito indicado quando precisamos nos adaptar a novas circunstâncias. Vale para todas as transições naturais da vida, como mudanças, perdas, rompimentos etc.

Daniel Macdonald, em Emotional Healing with Essential Oils, diz que as energias estagnadas são postas em movimento, trazendo flexibilidade ao coração e à mente. Nas palavras dele, “o Cipreste ensina a alma como deixar o passado para trás, movendo-se com o fluxo da vida”.

A questão da respiração foi curiosa, pois os pulmões estão ligados ao Metal na Medicina Chinesa e aos sentimentos de tristeza, inutilidade, fracasso e desânimo. Gripes, resfriados, bronquites e pneumonias, entres outros desequilíbrios pulmonares, são uma resposta direta, segundo a MTC, ao sentimento de tristeza. O luto, por exemplo, é (mais do que) necessário, mas precisa ter data de validade. Se passa do tempo regulamentar, vira patologia.

Cipreste
Ramo de Cipreste

A dificuldade em respirar é um reflexo da incapacidade de aceitar a vida como ela se apresenta. Incapacidade de expira o que está velho para inspirar algo novo. Estou falando de qualquer tristeza? Claro que não. A “tristeza patológica”, por assim dizer, é aquela que se estende demasiadamente (por conta de uma perda) ou que deriva de uma grande insatisfação com relação a própria vida – a “perda de si mesmo”. Acredite, a deficiência nos Pulmões pode enfraquecer a vontade de viver.

Cipreste e acupressura

Já que enveredei por este caminho, uma sugestão: experimente 1 gota do óleo essencial de Cipreste aplicado nos pontos VG-24 (Shenting – “Pátio da Mente”) e P-1 (Zhongfu – “Palácio central”). O primeiro ponto clareia e acalma a mente; o segundo trabalha sobre a fleuma e o calor dos Pulmões, sendo importante para vários tipos de doenças que atuam no órgão. Aplique a gota e massageie o ponto por alguns minutos. O P-1 está dos dois lados, não se esqueça disso.

Acupressura: pontos VG-24 e P-1
Acupressura: pontos VG-24 e P-1

Não deixa de ser contraditório pensar que, apesar do desejo de Ciparisso em “desaguar” infinitamente, o Cipreste é muito utilizado, clinicamente,  para lidar com excessos de fluídos do corpo, como hiperidrose (excesso de suor), perda de sangue, diarreia, disenteria, hipermenorreia (sangramento menstrual excessivo), sangramento de gengiva etc. A disfunção nos Pulmões também pode acumular líquidos no órgão em forma de umidade ou fleuma, podendo causar tosse e falta de ar. A umidade traz peso, traz preguiça. A fleuma (muco), separa e paralisa.

O bom é que Shirley Price coloca o Cipreste no grupo dos óleos equilibradores no livro Aromaterapia e as Emoções, de modo que podem ser estimulantes ou sedativos de acordo com a necessidade. Ele mesmo se regula. “O sofrimento é o tipo de emoção para a qual um óleo de dupla ação é sempre de grande valia; isto porque ela é complexa e envolve outras emoções no seu interior, de maneira a não só demandar versatilidade como também a ação equilibrante”.

Outras dicas e aplicações

A cliente jamais deveria estar fumando, por sinal, mas fuma. O Cipreste pode ajudar a parar e a purificar os Pulmões. Dentro daquilo que me interessa para este artigo (os atributos do Cipreste se estendem para outras coisas), o óleo ajuda na visão da impermanência e incentiva o silêncio interno. É fácil, nesses momentos, ter um diálogo interno que não cessa, não dá descanso. Ajuda se a pessoa procurar um tai chi chuan, uma meditação, uma prática de yoga. Todas essas coisas levam o indivíduo ao centramento.

Embalagem roll-on
Embalagem roll-on

Da forma mais apropriada, o óleo essencial de Cipreste deve ser usado em um aromatizador de ambiente (aqueles de tomada, que são mais seguros) ou no aromatizador individual (já falei desses pingentes de cerâmica antes). Nas proporções adequadas, é diluído em óleo vegetal para massagens ou cremes hidratantes.

Mesmo na dica dos dois pontos de acupressura, o melhor seria coloca de 6 a 10 gotas de óleo essencial de Cipreste em uma embalagem roll-on de 10 ml com óleo carreador. Passe um pouco nos pontos e massageie umas 3x ao dia. É mais seguro assim e evita desperdícios.

O mais importante do trabalho com o remorso é trazer à consciência que, em cada momento de nossas vidas, fizemos o que fizemos dentro do que éramos capazes de perceber – ponto.

Tá, e o 5 de Espadas?

Você já sabe que o 5 ocupou um espaço importante da consulta. Fez de tudo para chamar a minha atenção. Entendo que ao usar a expressão “tormento mental” confundo algumas pessoas com um atributo do 9 de Espadas. Então como é que é isso?

Primeiro eu quero dizer que não gosto da ilustração do Waite-Smith Tarot. O destaque está no homem que vence a batalha, e não nos dois que perderam. Sim, piora o fato da imagem  dar a entender que outros dois foram derrotados antes – as duas espadas que o homem apoia nos ombros como recompensa.

Usei acima e na chamada do artigo na página principal  o 5 de Espadas do Lo Scarabeo Tarot porque ele enfatiza a vergonha e a desonra. Estes sentimentos podem ser justificados ou apenas uma percepção equivocada do consulente, mas estão ali e fazem diferença no jeito que ele percebe a si mesmo e a vida. O impacto da experiência depende muito do grau de maturidade de cada indivíduo e precisamos respeitar isso.

Sins of the Father

Tem um episódio de Star Trek, the Next Generation, chamado Sins of the Father (“Pecados do pai”), que cai como uma luva. No episódio, o tenente Worf descobre que o seu pai é acusado, postumamente, como traidor. Este fato iria macular o nome da família Mogh por gerações. Worf solicita uma licença para defender a honra de seu pai e seus descendentes.

……………………. [SPOLIER ALERT] …………………….

Worf descobre que as acusações são falsas com a ajuda da tripulação da Enterprise. Poderia jogar tudo no ventilador, mas descobre que a verdade irá trazer instabilidade política ao Império Klingon. Pelo “bem maior”, faz um acordo de aceitar a culpa do pai em troca da vida e da permanência do seu irmão no anonimato – ele foi criado por outra família como filho legítimo e assim deveria permanecer. Worf, que obviamente também teve a sua vida poupada,  será lembrado para sempre como filho de um traidor, mas aceita o fardo.

Por que estou contando isso? Porque a cena final é “igual” à da carta do Lo Scarabeo Tarot, com cada membro do Conselho Klingon (incluindo o seu irmão) virando as costas para ele em um ritual de banimento. É de chorar (eu choro, pelo menos).


O 5 de Espadas é um indicativo de limite – o seu limite. A situação é maior que você, alguém é melhor (mais hábil) do que você e/ou o seu esforço não é/foi suficiente alcançar o resultado desejado. O Thoth Tarot é categórico na legenda: derrota. Dói e um tempo para digerir se faz necessário. Se você aceita, segue o fluxo – o 6 de Espadas.

Gosto muito da interpretação do Robert Place para a carta. Uso como conselho, mesmo que o baralho seja outro: conserte as lâminas, conserte a si mesmo; abandone os pensamentos negativos e siga em frente. Outras batalhas te esperam.

The Alchemical Tarot - 1st edition
The Alchemical Tarot – 1st edition

Em uma conversa sem cartas, é preciso separar o que é determinação e o que é teimosia. O determinado procura caminhos alternativos e, ainda assim, pode ser que eles se esgotem sem sucesso. O teimoso insiste no mesmo plano ou na mesma atitude esperando encontrar um resultado diferente. Dos dois, um: falta visão ou sobra vaidade.

Eu poderia dizer que é mais digno dizer “não deu para mim”, mas cada ser com a sua própria complexidade. A situação pode envolver a expectativa de outras pessoas, por exemplo. Pior, pode envolver o que o cliente acredita ser a expectativa de outras pessoas – e às vezes nem é.

Todas essas coisas fazem parte da natureza humana.  O papel de quem interpreta as cartas (e do óleo essencial de Cipreste, neste caso) é trazer clareza para a questão, lembrando que não há cartas de vitória em Espadas. Mesmo a carta de conclusão tem a clássica representação de um homem com 10 espadas cravada em suas costas.

Nove não é cinco. Nove não é dez.

Comparando com o 9 de Espadas, podemos dizer, primeiro, que o 5 de Espadas ainda pensa numa revanche. Quando aceita o resultado da batalha (mesmo sem abrir mão da guerra) evolui para o 6. Ainda no 5, ou acabou de ser derrotado ou rumina, rancoroso, sua condição, não importa quanto tempo tenha se passado.

No estágio 9 o tormento alcança o seu ápice. Não quero fazer uma longa dissertação sobre o 9 de Espadas. Isso serve de tema para um outro post. De qualquer modo, a carta aponta para a possibilidade de desespero, um estado de (extrema) aflição em que o indivíduo não vê saída para determinada situação. O arcano, para mim, pode ser um ponto de virada: ou você se afunda na autocomiseração (seu aspecto negativo) ou chega à raiz do problema (aspecto favorável), que é a oportunidade que se tem de trabalhar sobre a causa, e não mais sobre as consequências.

Possam todos se beneficiar!

Alerta | Zephyrus TarotPrecauções: O óleo essencial de Cipreste deve ser evitado durante a gravidez e em casos de mastite. Não deve ser usado junto com paracetamol, para não enfraquecer a glutationa. Em excesso pode causar sensação de desequilíbrio ou vertigem.

Posts Relacionados:

About Marcelo Bueno 86 Articles
Marcelo Bueno é cartomante com especialização no Tarot. Além de editor do Zephyrus Tarot, promove cursos, workshops e atendimentos com este oráculo.