Kipper 28-36

Leiding Kipperkarten
Leiding Kipperkarten

Apresento a última sequência de cartas do Kipper. Escreveram para mim, através do Facebook, perguntando como adquirir um baralho. O meu eu comprei com a Socorro, no De Keizerin Boutique. Os baralhos vêm da Alemanha, mas a dona da loja (para quem ainda não conhece) é brasileira. Pode confiar na entrega.

Outra pergunta feita foi como jogar. Isso é um tanto mais complexo. Eu não atendo com outro oráculo que não seja o Tarot. As ferramentas que adiciono aqui entram como estudo e consulta pessoal. De modo geral, jogo com três cartas alinhadas contando uma história. Por vezes, estendo para 5 – na verdade, cada vez mais faço isso. É assim que também uso o Lenormand e a Sibila Italiana.

Qualquer outro método que uso com o Tarot também serve e aplico 2 cartas por casa.

Em alguns sites encontramos outros jogos, em especial, o Petit Tableau, com 9 cartas (3 x 3) e o Grand Tableau, com 36 cartas (4 x 9). Tudo é uma questão de pesquisar e testar. Como o material é farto na rede, não entrarei nesse mérito.

28. Expectativa (Erwartung)

Para quem gosta de falar de tempo nas cartas, um prato cheio: é consenso que qualquer questão associada com esta carta não se resolve em menos de 3 meses.

Eu prefiro considerar que a carta descreve um estado de espera, de expectativa e, dependendo do conjunto, de ansiedade – que é não saber esperar. Nem sempre esperar é algo ruim, ainda que ninguém goste. Às vezes a carta vem como um conselho porque o momento ainda não é adequado e o consulente pode sair prejudicado se precipita as coisas.

É muito importante aqui cultivar a virtude da paciência, independente de tempo necessário para se alcançar aquilo que deseja.

Uma coisa que pode ser muito chata é quando a lâmina indica vigilância, ou seja, a presença de alguém que espiona o consulente ou marca pressão, querendo saber dos seus passos como uma forma de controle. Isto pode ocorrer em qualquer tipo de relação, seja profissional, familiar, social ou afetiva.

Neste sentido, se Erwartung sai como conselho, é o consulente que deve ficar atento com algo associado à pergunta. “Os olhos do dono que engordam o gado”, dizem os mais velhos. O tema abordado precisa da sua atenção. Não é para tomar uma atitude, mas para observar e aprender com o que se observa. Em especial, verifique se a carta à esquerda da Expectativa acrescenta algo à leitura.

29. Prisão (Gefängnis)

Embora a leitura pareça óbvia, temos variantes interessantes aqui.

Claro, o primeiro atributo é o encarceramento.  O consulente está preso ou confinado a um espaço por diferentes motivos, como uma doença (do consulente ou de alguém sob os seus cuidados) ou um compromisso que não permite que ele saia de onde está, por exemplo.

A carta também fala  de timidez, sentimento de insegurança, medo, inibições, bloqueios (internos ou externos), sensação de isolamento e solidão. Talvez seja do desejo do consulente (ou um conselho do jogo) se isolar das pessoas ou de uma situação que ele esteja vivenciando, mesmo que só por algum tempo.

No entanto, não fique limitado ao espaço físico. Junto à carta 3 (Matrimônio) ou 4 (Encontro) pode ser que a companhia (ou as companhias) estejam sufocando o consulente. Talvez ele se veja obrigado a desistir de seus desejos para satisfazer a vontade de outro(s), por exemplo, ou que aquela pessoa (ou grupo) não acrescentem mais nada à relação, aprisionando-o a uma rotina sem sentido. Isto também é prisão.

Se a carta vem acompanhada de Uma Mudança (9) ou Uma Viagem (10), o consulente deve se libertar imediatamente dessa situação, que talvez só permaneça porque ele ainda não percebeu que a chave do cárcere está em suas mãos.

Adicionalmente, a carta 29 indica segredos e tabus, assim como lugares escondidos, proibidos ou de confinamento (prisões, hospitais, internatos, etc.).

De um jeito ou de outro, é muito difícil ser feliz quando esta carta aparece. Considere que o assunto em pauta, na melhor das hipóteses, está sob quarentena.

30. Jurista (Gerichtsperson)

Estamos diante de um conselheiro – e o assunto não precisa ser de ordem jurídica.

Gerichtsperson é alguém que resolve um problema para o consulente por uma questão de habilidade, conhecimento, acesso ou credenciamento (alguém legalmente autorizado a fazer algo, como um médico ou um engenheiro).

Disputas, discussões e controvérsias podem estar na pauta, mas se o consulente quer reformar a casa, por exemplo, a contratação de arquiteto, pedreiro, etc. passa por aqui. Mesmo quando se trata de um conflito, a carta não indica que o assunto vá parar num tribunal, apenas que terá que lidar com este tipo de problema – com ou sem assistência técnica.

31. Doença Breve (Kurze Krankheit)

A mensagem é simples, mas as combinações podem ser curiosas. A carta identifica uma condição passageira de mal-estar físico ou mental. De modo geral, a pessoa fica de cama, tal qual a ilustração, o que não impede a interpretação de alguém que está realizando algo, apesar doente.

Com a carta da Prisão, é possível que tenhamos uma internação. Com a carta da Morte, a doença é grave – não, a combinação não decreta a morte do consulente ou alguém próximo a ele. Junto à carta da Pessoa Principal, observe para onde ela olha: se a Doença Breve está na sua frente, o consulente fica enfermo; se está nas suas contas, ele está preocupado com a sua saúde ou com alguém que se encontra doente.

Importante destacar: se o consulente é homem casado (1) e a sua esposa (2) está acompanhada desta carta, a parceira está ou vai ficar doente. Mas se a carta complementar for Matrimônio (3), é a relação que está precisando de cuidados, e não a mulher dele.

Como conselho, procure um médico para um check-up ou para tratar de algo que está incomodando antes que se transforme em  um problema mais sério. Incluo a dica de recolhimento estratégico, se a rotina estiver puxada, antes que o consulente pife. Tenha em mente que o título da carta fala apenas de tempo, não de gravidade. Não interprete “Doença Breve” como algo banal.

32. Dores e Tribulações (Kummer und Widerwärtigkeiten)

Não sei se é necessário traçar um comparativo entre Seus Pensamentos (16), Dores e Tribulações (32) e Pensamentos Sombrios (33), mas não é improvável que alguém confunda as atribuições.

Como vimos na parte 2, Seus Pensamentos possui uma condição bastante neutra: apenas informa que o consulente faz planos ou tem a mente focada em um assunto indicado pela carta complementar. Isoladamente, indica alguém mais dentro da própria cabeça do que vivendo o que acontece ao seu redor.

Em Dores e Tribulações as coisas não são tão leves. Existe uma preocupação real com algo que não vai bem. Na carta 16, um problema pode ser tratado como um quebra-cabeça, até certo ponto, estimulante. Muitas vezes é uma carta ligada a apegos (pensamentos voltados para um romance, para o trabalho, para a compra de um bem e assim por diante).

Aqui, na 32, o indivíduo talvez nem queira pensar no assunto, mas não consegue. A questão perturba o seu sono, atrapalha o seu desempenho profissional e compromete sua atenção em outras atividades. É possível que ele tenha passado por uma grande decepção ou perda, que se sinta culpado por algo que fez ou deixou de fazer, que  se sinta despreparado ou vulnerável com relação ao futuro. Sem dúvida, é uma carta de estresse.

Diante desta constatação, o consulente precisa ser orientado para controlar a ansiedade e evitar processos autodestrutivos.

Às vezes a carta se refere à angústia que antecede uma decisão difícil, mas, depois que se dá o próximo passo, fica mais fácil articular tudo o que precisa ser feito.

Outra interpretação, bem calcada na construção da imagem, é de dores de cabeça, enxaqueca, pesadelos e ressaca.

33. Pensamentos Sombrios (Trübe Gedanken)

Teoricamente, Pensamentos Sombrios seria uma versão piorada de Dores e Tribulações. Uma grande nuvem negra se coloca sobre a cabeça do consulente, trazendo inseguranças, medo, pessimismo, depressão e impotência.

Uma fonte informa que tirar esta carta como sorte do dia significa que “aspectos morais têm pouco significado para você hoje”. Em outras palavras, a situação dentro da cabeça do consulente pode chegar a um limite em que ele não se importe de cometer um ato de loucura.

Eu tive uma experiência recente com esta carta e a coisa esteve longe de ser tão grave assim. Vale a pena compartilhar pelo que me ensinou e para que a gente não leve a interpretação a extremos. Por sinal, foi um jogo curioso, pois perguntava algo para mim e não entendi nada do que as cartas queriam me dizer até uma amiga ligar e contar o que estava se passando com ela. Na hora soube que o jogo era dela e como poderia ajudá-la.

Na conversa ela nem demonstrou tanta apreensão diante de um determinado problema, mas eu lembrava das cartas e imaginei que o pior passava pela sua cabeça. Pela própria sequência de cartas (e mais uma jogada que fiz depois, agora ciente do que se tratava), sabia que tudo se resolveria bem e pude tranquilizá-la, mas, até aquele momento, ela era refém de pensamentos negativos com cenários que não refletiam a realidade.

O mais importante nesses casos é tirar a pessoa dessa vibe, pois a gente acaba atraindo o que mais teme. Eu colocaria esta carta, inclusive, e dependendo das que a acompanham, na categoria de alguém obsediado.

34. Trabalho, Emprego (Arbeit, Beschäftigung)

Abri este post com esta lâmina na versão Leiding do Kipperkarten. Ela sintetiza bem  o significado da carta, que identifica a ocupação principal do consulente, tanto no que se refere ao trabalho quanto à prática de um esporte, quando este demanda tempo, esforço e dedicação.

Apesar do cara engravatado, algumas fontes preferem ressaltar o trabalho braçal/operário, o que eu discordo. Para mim é trabalho – ponto. Encontrei também uma descrição que diz que se trata daquilo que você faz por obrigação (trabalho) ou prazer (esporte). Por prazer eu incluiria hobbies, que, em alguns casos, podem ser uma saudável válvula de escape para que a vida não se resuma a se comprometer apenas com o que é obrigação.

Isoladamente, a carta pode indicar o aparecimento de um novo trabalho ou atividade ocupacional. Com outras cartas, estas vão qualificar a vida profissional/desportiva do consulente ou descrever situações que  acontecem dentro deste contexto.

35. Longo Caminho (Ein langer Weg)

Longo Caminho é a versão estendida de Uma Viagem. Se na carta 10 falávamos de viagens de curta distância, na 35 precisamos de aviões ou navios para realizá-las. Ok, você viaja de avião do Rio para São Paulo, mas poderia fazer o trajeto de carro. Longo Caminho está mais para Rio-Recife ou Rio-Paris.

Com relação ao tempo, tenha em mente algo entre 1 e 3 anos. Esta é uma carta de planejamento a longo prazo, de desenvolvimento gradual e demorado.

Os intérpretes não são muito generosos com esta carta. Provavelmente por conta da época em que o baralho foi produzido, viagens longas podiam ser perigosas, desconfortáveis e tediosas. Muitos se fixam mais na questão do tempo como “vai demorar muito para acontecer” ou “permanecerá assim por muito tempo”, o que pode ser bom ou ruim, dependendo de como o consulente se sente hoje com relação ao assunto.

Prefiro pensar na carta como a possibilidade de ir muito além, pensando no tema de forma sagitariana. Por isso mesmo, incluo contatos ou influência do estrangeiro e uma coisa meio Jornada nas Estrelas de “where no man has gone before”.

36. Esperança, Grande Água (Hoffnung, Großes Wasser)

Fechando a jornada pelo Kipper, a última carta se refere a sonhos e esperanças. A âncora é um símbolo clássico de firmeza, tranquilidade, esperança, fidelidade. Mesmo em meio a tempestades, ela nos mantém estáveis, aguardando que tudo tranquilize. Existe aqui uma promessa de final feliz, logo, o consulente deve ser forte e determinado se hoje as coisas não parecem tão boas aos seus olhos, pois vão ficar em algum momento e ele precisa realmente acreditar nisso.

Esperança também fala de destino e aquilo que está predestinado a ser. Se isso é uma bênção ou maldição, dependerá do contexto e de outras cartas.

Curiosamente, atribuem a esta carta questões relacionadas à espiritualidade e à vidas passadas.

No aspecto negativo, no entanto, é preciso tomar muito cuidado para não embarcar em fantasias e/ou se deixar levar por substâncias que entorpecem os sentidos, podendo configurar um quadro de vício.