Combinando Maiores e Menores

Sacred India Tarot

Minhas primeiras experiências com o Tarot foram com o Sacred Rose em uma das mãos e o pequeno livro de instruções acompanhava o baralho na outra. E aí, sem saber muito como fazer, usava as 78 lâminas embaralhadas para qualquer tipo de jogo que resolvesse experimentar.

Comprar livros e fazer cursos não mudou muito este procedimento, pois ele é muito comum na literatura especializada, mas eu não ficava, de todo, satisfeito, porque achava que o discurso era rico em alguns momentos e raso em outros. Foi aí que resolvi experimentar a combinação de Maiores e Menores para equalizar esta história e fui ficando cada vez mais impressionado com as possibilidades.

Isolado nos meus estudos e práticas, tudo parecia meio revolucionário, até que a Internet revelou a existência das escolas americana e européia de interpretação – em outras palavras, o uso aleatório das 78 lâminas ou o uso de um Maior com um Menor por casa, respectivamente.

Importante ressaltar que não existe uma “forma certa”. Há comunidades no Orkut que não aceitam exemplos que não atendam a esta especificação (Maior-Menor), mas esta é uma opção preferencial do moderador – e nada a mais.

Associar Maior com Menor assusta muita gente sem necessidade. Parece que a coisa fica mais complicada, mas é justamente o contrario. Os Arcanos Maiores representam os grandes temas da alma, enquanto os Arcanos Menores representam os processos através dos quais estes temas se manifestam, dependendo do naipe e estágio do ciclo criativo, no caso das cartas numeradas, e dos temperamentos, no caso das Figuras da Corte.

A presença do Menor dá foco à energia do Maior e nada melhor do que explicar isso com um exemplo. Supondo que a síntese de uma situação qualquer seja o Carro, entendemos que se trata de um momento de avanço e direção. O consulente se sente impelido a sair de um local ou condição em busca de outro que lhe traga maior autonomia/independência. Análise primária, de poucas palavras, mas acredito que todos concordem.

Diferentes Menores aqui podem dizer, agora, como isso se dá ou o que motiva esta (re)ação.

Um 2 de Ouros, por exemplo, indicaria que este crescimento acontece em um momento de mudança de conjuntura, onde talvez se abra uma oportunidade em meio a uma condição que era de limitação ou que a estrada que se tem à frente é irregular e o consulente deve estar preparado para mudanças de percurso.

Acompanhado de um 5 de Espadas, existe na necessidade de superar a frustração e o sentimento de derrota. O consulente assume seus erros e acertos e segue em frente.

Sacred India Tarot

Com um 7 de Copas é preciso tomar cuidado com a dispersão, pois corre-se risco de não ter muito claro o que se deseja e não concentrar a sua energia em um único objetivo.

E se temos uma Figura da Corte, como o Cavaleiro de Paus? Talvez para questões imediatas a coisa funcione bem, ainda que se alerte o consulente contra precipitações. Há entusiasmo e isso é bom, mas se o tema em pauta for algo de longo prazo, pode ser difícil para ele manter o pique/foco por muito tempo.

Quer aprender? Repita este exercício várias vezes fora de um jogo. Imagine uma situação qualquer e um atributo (aspecto positivo, conselho, vida material, espiritualidade…). Sorteie em Arcano Maior e pense no discurso. Escreva. Depois sorteie um Menor, e outro, e outro, e outro, … Crie frases para cada dupla. Perceba as diferentes nuances, aprimore o discurso aos poucos. O bom de anotar é porque, mais a frente, a gente revisa e vê o que mudaria.

Quer começar do básico mesmo? Pense apenas nos naipes. Tenha certeza de dominar este assunto. Eu gasto um bom tempo falando de naipes antes de entrar no significado das cartas. Poucas pessoas têm a real dimensão disso e ficam no Ouros = Dinheiro, Copas = Afeto, Espadas = Desgraça, Paus = Espiritualidade. Corra dos chavões. Os naipes estão longe de serem só isso. A partir daí, medite como a Temperança se expressa através de cada naipe, depois a Estrela, a Papisa

Não queira fazer tudo como em uma maratona, do Louco ao Mundo. Sorteie 1, 3 ou 5 cartas. Esgote-as. Explore outras em um outro dia, nomeie situações – “aquela experiência foi um Imperador com 6 de Paus”.

O desafio é grande se você resolve encarar uma combinação sem preparo, diante de um cliente (ainda que seja uma brincadeira entre amigos) que espera que você lhe diga alguma coisa. A pressão desestabiliza, naturalmente.

Eu, particularmente, acho que os jogos ficam mais interessantes assim. Usando o Tabuleiro, inclusive, contabilizo o número de cartas de cada naipe, pois esta informação, por vezes, clareia muito as coisas. Todo mundo deveria, ao menos, experimentar.

Posts Relacionados:

About Marcelo Bueno 87 Articles
Marcelo Bueno é cartomante com especialização no Tarot. Além de editor do Zephyrus Tarot, promove cursos, workshops e atendimentos com este oráculo.