O que não me mata, me fortalece

Gringonneur Tarot - A Força
Gringonneur Tarot, também conhecido como “Charles VI”

Na sequência da série Virtudes, escrevo sobre a Fortaleza (ou Fortitude), que assume aqui o nome de Força. Para mim, não importa o baralho, chamarei sempre de Arcano 11. No entanto, é muito comum ver a troca de Força e Justiça em muitas publicações. Nessa condição, não estranhe ver a lâmina com o número 8 gravado em algum lugar.

A imagem atual geralmente exibe uma dama em belas vestes segurando um leão pela boca. Para realmente entender a natureza da carta, vamos recuar para as primeiras representações e entender de onde vem essa confiança.

Antes da Força, a Fortaleza

A Fortaleza, como virtude, representa o espírito inabalável nos períodos de crise. A dama surge com belos trajes abraçada a uma coluna de mármore inteira. A coluna de mármore é um dos símbolos heráldicos de robustez. Se agora exaltamos o bambu que se curva ao vento e retorna para a sua posição quando este cessa, naquela época o importante era resistir. Para Aristóteles, trata-se de uma atitude de moderação diante do medo e da dor. Não é uma questão de ser indiferente aos contratempos, mas de ter uma atitude moderada com relação a eles. É importante frisar para não passar a mensagem errada.

Em dado momento, a mesma dama aparece com a coluna de mármore partida, como vemos no Gringonneur. A crise a alcançou, podendo nos lembrar do desmoronamento da Torre (Arcano XVI). O princípio, no entanto, permanece inalterado pela expressão de serenidade diante do ocorrido. Se, antes, sólida era a coluna, esta característica é transferida. Não procure fora o que está em você.

O tom é diferente quando as vestes são trocadas e a dama passa usar armadura. A brava resistência (que não deve ser confundida com passividade) ganha uma leitura alternativa. A leveza é amenizada. Existe uma predisposição para conquistar, com vigor e coragem, aquilo que se deseja, combatendo as oposições.

A coluna de mármore, “aliada” até então, agora pode representar o inimigo. Nesse caso, a jovem aparece algumas vezes como responsável pela sua ruptura. Não que ela tenha força física para isso, mas porque possui a determinação para não desistir até que conclua o que se propôs fazer. O leão, quando surge, é quase uma sombra. Mantido à certa distância, adiciona à guerreira os atributos da nobreza e do destemor.

Força na dama. Força no leão

No final do século 18, alguns baralhos italianos adotam o leão, mas seguem fiéis às raízes simbólicas da Fortaleza. O Tarot de Marseille, na França, foi o primeiro a trazer a dama domando a fera. A partir desse ponto, o modelo é reproduzido em tudo o que viria a ser publicado depois. O que pode variar de um para outro é a docilidade do animal.

Tarocchi di Mantgna - Fortaleza
Tarocchi di Mantgna

Todas as características de uma lâmina são importantes e, no estudo do arcano, a mensagem acompanha qualquer alteração. É importante reunir estas informações e consolidar um conceito consistente. Como sempre falo/escrevo, não censuro convenções pessoais, mas quando se discute o tarot como um todo, é preciso ter uniformidade. A dama em trajes finos, de armadura ou nua sugerem coisas diferentes.

O que a carta da Força nos ensina até aqui é que a sua presença em um jogo indica que temos todos os recursos necessários para lidar com as dificuldades.

Se dispomos as cartas em pares (1-2, 3-4 …), temos a orientação para ficar e lutar (Força) ou recuar e se render (Pendurado). A própria sequência é clara: não desista antes de tentar, mas reconheça o momento certo de parar, pois de nada vale ter boas sementes lançadas no solo árido. Uma coisa é entrar consciente em estado de stand by, a outra é chegar ao total esgotamento.

Para não ficar muito longo, este Arcano será abordado em 3 posts. Encerro a primeira parte aqui. Verifique as partes dois e três. A Força também está neste outro post, escrito em outra ocasião. Antes disso, porém, uma explicação:

A respeito da troca dos números

Letra Lamed
Lamed, regente de Libra

Desde Antoine Court de Gébelin que tentam estabelecer associações entre as lâminas e elementos da Árvore da Vida Cabalista.  O fato de termos 22 arcanos maiores e 22 letras do alfabeto hebraico é algo presente até hoje. Eu, por exemplo, sou contra, mas há diferentes correntes que discorrem sobre isso.

Eliphas Lévi, por exemplo, alinha a sequência natural de letras e arcanos, começando por Aleph-Mago. O Louco é posicionado entre o Julgamento e o Mundo. Para o que nos interessa, Justiça (8) é Chet e a Força (11) é Kaph. Os tarólogos franceses, de modo geral, adotam essa associação.

Arthur Edward Waite, mais tarde, resolveu colocar o Louco na primeira posição (Aleph), oficializando o número 0 (zero). Isso deixaria a Justiça (8) associada à letra Tet (9) e a Força (11)  associada à letra Lamed (12). Sim, deixaria. Ocorre que as letras hebraicas ‘também’ regem signos e planetas dentro da tradição judaica.  Tet é a letra do signo de Leão e Lamed é a letra de Libra. Dentro desta nova lógica, a carta que estampa um Leão e a carta em que a personagem segura uma balança parecem estar ‘astrologicamente invertidas’, daí a justificativa para a troca de posição das cartas. Este é o parecer de muitas escolas herméticas.

Aleister Crowley, só para constar, também promoveu alterações nesse quadro de correlações quando ouviu do seu mentor espiritual que Tsade não era a Estrela. O resultado disso foi que Tsade (Estrela) trocou de lugar com a letra Hei (Imperador)A diferença é que ele não viu motivos para alterar a ordem das cartas em função disso. A Justiça é Lamed, mas permanece com o número 8. A Força é Tet e permanece com o número 11.

Possam todos se beneficiar!

Posts Relacionados:

About Marcelo Bueno 86 Articles
Marcelo Bueno é cartomante com especialização no Tarot. Além de editor do Zephyrus Tarot, promove cursos, workshops e atendimentos com este oráculo.