Tarot e Paciência – Parte 1

Tarot e Paciência | Zephyrus Tarot
Liber-T Tarot

Não há quem procure um oráculo e não esteja passando por um problema, grande ou pequeno.

Por isso mesmo o tarólogo deve estar sempre preparado para lidar com a eventual contrariedade (não-aceitação) do seu cliente diante das dificuldades que ele, eventualmente, ainda tem para enfrentar.

Já escrevi sobre Paciência uma vez, citando Shantideva, e dei dicas de como lidar com a Raiva em outro post (infelizmente, o texto sobre raiva está perdido depois do site hackeado). Para o budismo, a Paciência é antídoto para a Raiva e não devemos pensar em Raiva apenas como uma reação agressiva.

A frustração, por exemplo, que pode levar à depressão, está ligada ao Fígado na Medicina Chinesa e estes quadros correspondem à diferentes manifestações da mesma energia.

Em uma conversa informal uma pessoa veio me dizer que nunca sentiu raiva na vida, o que considero improvável. Ela quis se valorizar como uma pessoa muito evoluída e arrematou que sentia apenas uma “grande tristeza” quando alguém a decepcionava.

Argumentei que o que ela sentia provavelmente não era tristeza, mas frustração por alguém (ou alguma coisa) não corresponder às suas expectativas, sem contar que era possível alguma manifestação de orgulho no processo, pois o discurso dela evidenciava uma dose de “pena” do outro e na pena sempre está implícito o sentimento de que “eu sou melhor que você”.

Ela, evoluída como diz ser, prometeu que iria refletir sobre o que eu estava dizendo – sem comentários. Reproduzo este pequeno diálogo apenas para que a gente também se observe melhor, entenda o que está verdadeiramente acontecendo e procure a correção adequada.

Fui procurar uma definição para Paciência na Wikipedia:

É a virtude de manter um controle emocional equilibrado, sem perder a calma, ao longo do tempo. Consiste basicamente de tolerância a erros ou fatos indesejados. É a capacidade de suportar incômodos e dificuldades de toda ordem, de qualquer hora ou em qualquer lugar. É a capacidade de persistir em uma atividade difícil, tendo ação tranquila e acreditando que você irá conseguir o que quer, de ser perseverante, de esperar o momento certo para certas atitudes, de aguardar em paz a compreensão que ainda não se tenha obtido, capacidade de ouvir alguém, com calma, com atenção, sem ter pressa, capacidade de se libertar da ansiedade.

No Budismo, a Paciência se classifica em 3 modalidades que mais ou menos vão refletir este texto:

* A Paciência de não ser perturbado pelos prejuízos causados pelos outros;
* A Paciência de aceitar o sofrimento; e
* A Paciência no entendimento do Dharma – que tem a ver com a pessoa não se achar apta para perseverar no caminho espiritual.

Obviamente há ensinamentos a respeito disso, como considerar que tudo o que nos acontece tem alguma ligação com experiências passadas e que devemos evitar produzir mais karma negativo através da reatividade, mas não vou me estender sobre isso neste ponto da história.

Paciência para começar

Fiquei aqui pensando como a Paciência poderia ser aplicada ao Tarot. O exercício não é tão simples quanto se imagina num primeiro momento, mas faço rapidamente algumas reflexões com os arcanos maiores e você pode contribuir com outras observações.

A Paciência quando se expressa como conselho através do Mago, serve para lembrar que você ainda é um aprendiz e há um longo caminho a percorrer. Não exija demasiadamente de si mesmo (ou da pessoa em questão) agora. Esteja atento às oportunidades, mas sem ansiedade.

A Papisa, por sua vez, pede observação. Não é momento de tomar atitudes e, principalmente, de falar (demais). Apenas observe. Observe fora (o que não é dito/exibido) e observe dentro (como você se sente a respeito).

O grande desafio da Paciência é a pessoa achar que ela é indicativo de fraqueza. Isso não é verdade. Mais fácil é agir por impulso, mobilizado por desejos e vaidades, do que pensar.

A Paciência da Imperatriz tem a ver com espera, pois não se come o fruto verde. A Imperatriz está grávida, sabemos disso, de modo que o que quer que venha a nascer precisa ser corretamente constituído. Poderia falar a mesma coisa da Temperança com relação ao tempo, mas o anjo alado também imprime a sua marca pessoal de entender a diversidade e construir algo novo através da soma de elementos nem sempre compatíveis.

Nós nos esquecemos de como esperar. Esse é um espaço quase abandonado. No entanto, ser capaz de esperar pelo momento certo é o nosso maior tesouro. A existência inteira espera pelo momento certo. Até as árvores sabem disso – qual é o momento de florescer, e o de deixar que as folhas caiam, e de se erguerem nuas ao céu.

Osho, em “Zen: The Diamond Thunderbolt”

O peso das responsabilidades: haja paciência!

A Paciência do Imperador pode evidenciar a sua responsabilidade com um reino e que suas atitudes causam um impacto direto ou indireto em muitas vidas. Penso que o Imperador também aconselha algo do tipo “seja firme, mantenha a sua posição”, que é uma coisa assemelhada às primeiras representações da carta da Força, onde uma mulher se mantém ao lado de uma coluna de mármore.

Mas a Força possui outros atributos e um deles é exatamente o de manter a fera interior sob controle. Forte não é quem domina o outro (uma visão negativa do Arcano 15), mas, antes disso, quem domina a si mesmo.

O Papa nos aconselha conciliação e conciliar é um jogo de ganhos e perdas: você abre mão de alguma coisa para conseguir outras. Muita paciência nessa hora! Também pode ser um conselho – assim como a Papisa e o Eremita – para se ouvir a voz interior.

A carta do Enamorado fala de escolhas e onde há necessidade de escolha é porque há opções. Analise as opções que tem diante de si e, caso só consiga perceber um único caminho, preste atenção, pois provavelmente está deixando escapar alguma outra possibilidade.

Paciência para o Carro é persistência e perseverança. As duas palavras são muitas vezes aplicadas como sinônimos, mas não são. Persistir é fazer mais do mesmo até alcançar um resultado. Perseverar tem a ver com buscar caminhos diferentes quando algo parece não dar certo, mas sem perder o foco no objetivo inicial.

O que seria a Paciência para a Justiça? Boa pergunta. Acho que existe uma abordagem lógica e outra espiritual – e não quero dizer com isso que algo espiritual não tenha lógica.

Paciência para aceitar como as coisas são

Do ponto de vista prático, a carta da Justiça sugere análise comparativa, pesando prós e contras. Neste sentido, pode ser um aviso contra a impulsividade. Por ser o Arcano que representa a Lei, poderia afirmar que, gostando ou não, é o certo – ou o dito como certo pelo senso comum – por isso devemos aceitar.

Liber-T Tarot | Zephyrus Tarot
Liber-T Tarot

Em uma abordagem espiritualista, temos que considerar as relações de causa e efeito. Em algumas questões pode ser que a correspondência seja óbvia, mas, em outros (diria até que em muitos), não. Como escrevi no post da Justiça, é preciso ter cuidado para não banalizar o uso do termo karma.

Difícil não associar Paciência à Prudência quando se trata do Eremita, recomendando que se dê um passo de cada vez muito certo de onde pisa, mas não deixo de lado os aspectos da maturidade, que tem muito de estar verdadeiramente consciente de quem você é, o que você busca e quais são as suas responsabilidades. E quando escrevo sobre “ser quem você é”, não fique só nisso. Reflita também sobre o que o motiva a ser seja lá o que for – isto é autoconhecimento.

Como já vi que isso pode ficar grande, vou dividir o post em 2 partes. A ideia inicial não era escrever sobre todos os Maiores, mas o texto foi saindo.

Já falei da Força junto com o Imperador, então concluo por hoje com a Roda da Fortuna, cuja natureza é a impermanência de todas as coisas. “Não há mal que sempre dure ou tristeza que nunca acabe”, dizem os mais velhos. O maior ensinamento da Roda é que tudo muda todo o tempo. Se a situação está ruim, é certo que as influências nocivas diminuam em algum momento e que coisas boas comecem a acontecer.

Isso não significa, contudo, aguardar sem fazer nada, mas não se prender às circunstâncias, sejam elas boas ou ruins.

Possam todos se beneficiar!

(parte 2)

Posts Relacionados:

About Marcelo Bueno 87 Articles
Marcelo Bueno é cartomante com especialização no Tarot. Além de editor do Zephyrus Tarot, promove cursos, workshops e atendimentos com este oráculo.