Tarot e Paciência – Parte 2

Tasrot e Paciência | Zephyrus Tarot
Tarot of the Sevenfold Mystery

Continuo a falar de Tarot e Paciência (parte 1 aqui) seguindo com o Arcano XII, o Pendurado.

Esta a carta exige o suprassumo da Paciência, pois, quando aparece no jogo, pede por espera e bom senso. Não temos, no momento, recursos, forças e/ou conhecimentos para lidar com a situação. Aceite isso.

O Faraó foi avisado por D’us que teria 7 anos de fartura e 7 anos de seca. Com a ajuda de Yossef, separou 1/5 da produção, blá-blá-blá… você conhece a história bíblica (Yossef = José do Egito).

Se o Pendurado aparece em uma condição futura, prepare-se para enfrentar as dificuldades com sabedoria. Tenha uma atitude Formiga, e não Cigarra – e isso não se aplica apenas a questões materiais. Você está sendo avisado para minimizar (diferente de evitar) o impacto, tenha isso em mente.

Se o Pendurado retrata o momento atual, bom, “queime o seu karma com sabedoria”. Em outras palavras, não piore as coisas. Eu não gosto de falar que a pessoa está vivendo o seu karma porque, afinal, tudo é karma e o argumento soa vazio na maioria das vezes, mas posso e devo alertar sobre o karma que se constrói para o futuro: a maneira como você lida com o assunto lança sementes de bom karma ou de mau karma em solo fértil hoje – o que você quer colher depois?

E se karma, anyway, é um negócio muito cabeça, mantenha a integridade que já está de bom tamanho.

Paciência para não fazer bobagens

O Arcano seguinte é a Morte. Se o consulente está consciente das mudanças que estão acontecendo, a Paciência pede um estado mental quase cirúrgico – você precisa saber o que cortar, quanto cortar e como cortar para não fazer bobagens. Dependendo do tema, a gente se perde porque se empolga. Cuidado com isso.

Nada de afobação neste momento. Nada de exageros. Concentre-se na tarefa e exercite a compaixão. Não somos 100% responsáveis pela forma como outras pessoas irão assimilar nossas decisões, mas evite tanto quanto possível o sofrimento desnecessário. Não é para deixar de fazer, mas para fazer direito.

Se o Arcano XIII se refere a algo que deve ser implementado, muitas vezes nos defrontamos com um frio na barriga por não saber o que mudar ou como mudar, além das questões básicas de condicionamentos e (falta) de confiança em si mesmo. A Paciência, nestes casos, é um processo delicado que, não raro, necessita de um acompanhamento psicológico, pois lida com questões muito internalizadas.

Tarot of the Sevenfold Mystery
Tarot of the Sevenfold Mystery

Como estamos falando de um oráculo, as cartas podem ajudar neste momento, mapeando algumas coisas e mostrando que há algo muito melhor na outra margem deste rio. Isso deve servir de estímulo, mas o tarólogo deve tomar o cuidado de apenas orientar – cabe ao consulente a decisão de mudar como algo que cresce dentro dele, e não algo que ele é forçado a fazer.

Escrevi um pouco sobre a Temperança na primeira parte, com relação ao tempo e à compreensão da diversidade – e é isso mesmo.

A Temperança é o Arcano daquilo que é perfeitamente adequado ao momento, tanto no que toca às medidas absolutas como às sutis, como o tempo. Claro que 1h tem 60 min e não há nada de sutil nisso, mas a percepção do tempo é sempre relativa. Às vezes a gente quer agora; às vezes deseja que nunca acabe.

A Paciência da Temperança ensina, no entanto, que não se come a fruta se ela não está madura ou quando já passou do ponto. Também que tudo flui como um rio em direção ao mar.

Outra coisa bacana deste Arcano é a capacidade de reunir e construir algo útil com elementos que, aparentemente, “não têm liga”, fazendo com que as individualidades cedam lugar a algo muito maior do que elas.

É possível ser paciente com o Diabo?

Você deve estar curioso sobre o que posso vir a escrever sobre Paciência e a carta do Diabo. Poderia ser espirituoso e dizer que “a vingança é um prato que se come frio”, mas isso não seria um (bom) conselho… :)

Na verdade, a carta do Diabo traz uma difícil lição. Dê uma olhada no que escrevi na parte 1: eu botei lá que, dentro do Budismo, existem três modalidades de Paciência e a primeira delas é a “Paciência de não ser perturbado pelos prejuízos causados pelos outros” – bingo!

E como ser paciente com alguém que nos atormenta ou nos causa algum tipo de prejuízo?

O Budismo faz algumas considerações, como compreender que existe alguma questão kármica na relação. Também que a pessoa que o atormenta é escrava de seus próprios venenos, e por aí vai.

Escrevi que trata-se de uma lição difícil porque a grande maioria foi criada na base do “bateu, levou”, “isso não vai ficar barato”, “dou um boi para não entrar numa briga e uma boiada para não sair” e coisas do gênero.

E aí, o único argumento que eu adoto é “não torne as coisas piores do que elas já são”, repetindo a explicação que escrevi no Pendurado. Quanto mais tensão se cria, quanto mais deixamos que os nossos venenos mentais se pronunciem, mais contribuímos para os obscurecimentos no presente e no futuro – não vale a pena.

É possível se manter firme nisso? Nem sempre. Enquanto escrevia aqui, lembrei que faz tempo que não visito a Carol Arêas e ao clicar no link para o Terapia Floral, esbarro com o título “Gente ferida fere outras pessoas com muita facilidade” seguida da frase:

As pessoas com as quais você tem grande dificuldade de lidar são também aquelas que podem ser os seus mais valiosos mestres.

Isso porque os problemas que você tem com elas não são necessariamente em função da maneira como essas pessoas são ou agem, mas sim, da maneira que você reage a elas.

Aprenda a lidar com pessoas difíceis e você irá aprender valiosas lições a respeito de si mesmo. Aprenda a se relacionar positivamente com pessoas difíceis e você irá desenvolver habilidades que podem muito lhe ajudar em muitas outras situações desafiadoras.

John Maxwel

Não vou muito longe para falar da Torre: quando o Arcano 16 surge no jogo, não adianta tentar achar um bode expiatório ou se apegar ao que está ruindo. A Paciência, neste lâmina, é a arte de saber recuar e deixar ir, certo de que só desmorona o que não tem mais valor.

Não se trata de ser indiferente. A Torre muitas vezes implica em perdas e temos direito a lamentar por elas, mas não se lamente em demasia ou por muito tempo, ou esta perda irá se transformar em melancolia e ressentimento.

A carta seguinte é a Estrela, que é um Arcano que fala de fé e esperança – cuidado com isso. O papel da Paciência aqui é muito claro, pois se refere a ter confiança no Universo – sem esquecer de fazer a sua parte, claro.

Pode ser até que não sobre, mas com a Estrela em jogo você sabe que faltar não vai – e isso se aplica a tudo.

Tarot of the Sevenfold Mystery
Tarot of the Sevenfold Mystery

No caminho contrário temos a Lua, que é uma carta de incertezas, medos e ilusões. O antídoto para a lâmina de número 18 é a sua redução: 1 8=9, o Eremita.

Quando tudo parecer confuso, diminua a velocidade, traga a lanterna para perto e fique atento ao próximo passo. “Devagar se vai ao longe”, dizia minha vó.

Alegria também pede paciência

E o que falar do Sol? Tudo parece muito tranquilo por aqui para que se precise evocar a Paciência, mas aí me lembro que a Medicina Tradicional Chinesa atribui ao Fogo o sentimento da Alegria e ele tem uma conotação negativa em muitos casos, pois não se trata da Alegria, pura e simplesmente, mas do seu excesso, euforia, que coloca o coração em descompasso.

Seguindo a máxima do “não basta engolir, é preciso mastigar”, a Paciência aplicada ao Sol fala de moderação. Aproveite todas as oportunidades, mas com consciência.

Consciência, por sinal, é palavra-chave do Julgamento. E com o despertar de uma nova consciência, muitas vezes nos tornarmos muito exigente com os outros e, pior, com nós mesmos.

Nem o mundo foi feito em 7 dias, acredite. Acontece em muitos casos o sentimento de “tempo perdido”, o que é uma tolice. Correr agora não significa repor o que não fez antes – principalmente o que não fez porque não sabia que era para fazer.

Encontre o seu próprio ritmo. Aceite a imperfeição. É provável que alguns tombos venham a ocorrer, mas não desista: levante e siga em frente.

E chegamos ao Mundo.

O Tarot não afirma como as coisas são, mas como estão.

Se a Paciência se faz necessária no Arcano 21, acredito que seja para indicar que cada coisa está no seu devido lugar. Talvez isto não signifique que estejam do jeito que você gostaria, mas, com certeza, estão do jeito que devem ser.

Se eu fosse abordar a carta de uma perspectiva espiritualista, poderia dizer que a Paciência tem a ver com “Determinação”, pois a gente faz mil coisas achando que “cumpriu a cota” para a liberação e tudo parece igual – e isso quando não piora um pouco.

Consulte o seu coração. Medite. Se ele aponta que o caminho é esse, não desista.

Do ponto-de-vista mais prático/materialista, a Paciência na conclusão de um ciclo é um convite à gratidão – não essa “gratidão” dita da boca para fora no lugar de “namastê“, pelamor… A primeira coisa que um judeu faz ao acordar é agradecer (prece Mode Ani) por não ter sucumbido durante o sono e ter mais um dia pela frente.

Deveríamos ser mais gratos por todas as oportunidades que surgem diante de nós, incluindo a adversidade. Deveríamos, de fato, agradecer ao Universo quando alcançamos um objetivo, mas muitos se esquecem disso, apesar das inúmeras orações para que fosse bem sucedido.

A gratidão abre portas – neste mundo e nos outros, acredite. Se o Mundo apareceu para você como alerta ou projeção futura, não deixe de reconhecer que vivemos uma trama de forças além da nossa compreensão e eleve um pensamento por tudo que você é e ainda pode vir a ser.

Só faltou falar do Louco

Contarei um segredo: este texto já veio do outro blog (ok, o mesmo, mas antes de ser hackeado), o Louco não foi citado e só agora, revisando para compartilhar de novo, dei conta disso – paciência. ;)  O Louco, por um lado, pode sintetizar bem a paciência porque está tudo bem para ele. O Louco não tem propósitos, é flexível com as mudanças, segue o fluxo. O Louco é zen, mesmo que seja ‘zen-noção’.

Ocorre, no entanto, que às vezes precisamos lidar com Loucos ou com situações que trazem os seus atributos. O que fazer? Pare tudo, respire fundo e ouça Lenine. :)

Possam todos se beneficiar!

Posts Relacionados:

About Marcelo Bueno 86 Articles
Marcelo Bueno é cartomante com especialização no Tarot. Além de editor do Zephyrus Tarot, promove cursos, workshops e atendimentos com este oráculo.